O Primeiro Mandamento da Igreja “Participar da missa por Inteira”


Para recordar o primeiro mandamento da Igreja que é participar da missa por inteira aos domingos e solenidades; atentos, por inteira e não chegando atrasado (a) é que todo cristão (ã) que se preze entra em uma igreja para celebrar a vida na fé no mistério da vida de Jesus Cristo onde se encontra a nossa salvação.

A missa é um ato único realizado em duas Mesas de igual valor, pois se trata do único Senhor com seu Espírito a reunir todos em um só corpo.

Em todos nós há fome e sede de Deus e do ensinamento que dele vem por isso darmos o valor e atenção ao momento em que são proclamados os textos Sagrados na Mesa da Palavra chamada de Ambão sendo o lugar em que Deus nos fala por meio do Filho Vivo, é o lugar e momento da escuta pelo coração (interioridade). Será que todos tem esta compreensão e dão o devido valor durante a Mesa da Palavra?

Para que nós sentamos ao redor da Mesa da Palavra e nos colocamos na escuta? Se temos fome e sede de Deus e de seus ensinamentos é para que coloquemos em prática o que ouvimos e aprendemos e sejamos cada vez melhores, deixemos que Deus modele nosso viver a fim de que sejamos mais humanos, dóceis no espírito, solícitos na caridade para com os semelhantes, respeitosos uns com os outros e com toda a criação.

A iluminação pela Palavra com força e graça divinas é capaz de edificar, reerguer, consertar, reconciliar todas as coisas, foi desta forma que Esdras, sacerdote e escriba e Neemias, governador empreenderam a grande reforma ao povo de Israel a partir da leitura e explicação do livro em cima de um tablado de madeira (Ambão).

A escuta fez com que todos chorassem de tristeza, talvez reconhecendo os erros e maldades, mas o pedido foi de que se alegrassem, pois a alegria de Deus seria a força para todos.

O entendimento melhor da força da Palavra acolhida que transforma o viver humano está em Jesus, no Evangelho desta liturgia ele é apresentado na Galiléia com a força do Espírito e em dia de sábado proclama na sinagoga a leitura do profeta Isaías.

O conteúdo do texto é a consagração pela unção para anunciar a boa-nova aos pobres; libertar os cativos; recuperar a vista aos cegos; libertar os oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor. Jesus proclamando este conteúdo é confirmação que sua vida e missão são realizações de todas estas coisas.

Eis a grande função da Palavra celebrada nas liturgias, acolhida pelo “ouvido do coração” para que nossa vida se transforme, se renove, para que nos convertamos, para que a humanidade viva e manifeste o amor, para que a sociedade se humanize e seja espaço de convivência sadia e respeitosa, para que as igrejas deem testemunho de amor e unidade e tudo e todos possam glorificar a Deus.

A Primeira carta aos Coríntios é muito clara ao dizer de um único corpo com muitos membros onde cada um tem sua função, mas que coopera para o bem de todo o corpo. Fica mal aos olhos de todos e um grande contra testemunho quando cristãos (ãs) se sentam para “escutar a Palavra”, celebrá-la, mas a vida em palavras, pensamentos e atitudes não corresponde; continuam ocasionando divisões, intrigas, disseminando ódio, tecendo fofocas e julgamentos, excluindo do convívio etc.

É fundamental que nossa vida corresponda cada vez mais com a Palavra que recebemos para podermos dizer a nós mesmos o que está no evangelho: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabaste de ouvir”.